Principal
Banner

postheadericon Pacientes da Saúde Mental são reinseridos no mercado

61fc-vacina

 

A experiência bem-sucedida de J.R., de 34 anos, no mercado de trabalho, representa uma das razões por que a Fundação Municipal de Saúde de Niterói teve motivos para celebrar na última quarta-feira, Dia Mundial da Saúde Mental. Funcionário da cantina Varandas dos Sabores, na Policlínica Carlos Antônio da Silva, ele é um dos pacientes da rede de Saúde Mental do município que estão sendo reinseridos na sociedade, através de ações culturais, atendimento ambulatorial e trabalho formal.

J.R. é um dos nove usuários da rede de saúde mental do município que trabalha na cantina da policlínica. Ele passava por crises de ansiedade e foi atendido no Hospital Psiquiátrico de Jurujuba (HPJ). Atualmente, vem melhorando seu quadro de saúde e adquirindo mais independência.

“Esse trabalho na cantina é importante para ganharmos nosso dinheiro, convivermos com a sociedade e melhorarmos nossa saúde mental”, conta.

A.P.M, de 46 anos, passa por tratamento no CAPS Hebert de Souza e também trabalha na cantina. Em situação estabilizada após crises psicológicas, conta que inclusive já participou de processos seletivos de trabalho, após as recomendações passadas no Centro de Convivências, que realiza reuniões todas as quartas-feiras.

“O trabalho na cantina me ajudou a melhorar minha comunicação. Nas reuniões, recebemos orientações profissionais, é muito importante para termos mais chances no mercado de trabalho”, relata.

Morador do Centro de Niterói, R.B, de 37 anos, é parceiro de trabalho de A.P.M. e J.R.

“Nosso serviço aqui ajuda a ativar a memória. Aqui na policlínica, tenho meu tratamento e faço meu trabalho, tudo em um só lugar”, comemora.

O Programa Municipal de Saúde Mental passou, há cerca de 20 anos, por transformações significativas na forma de atender pacientes, promovendo novas ações de proteção social para esse grupo excluído historicamente. A secretária municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos, fala da importância da integração social dos pacientes de saúde mental.

“Niterói sempre esteve ligada historicamente às estratégias de cuidado de pessoas que possuem transtornos mentais. Em nossa rede temos atendimento e atividades ligados ao trabalho, cultura, esporte e lazer que mantêm os vínculos dos pacientes com família, amigos e sociedade. O trabalho de inserção social permite que os usuários da rede tenham a possibilidade de circular e habitar os inúmeros espaços existentes na cidade, se relacionando com outras pessoas e com os lugares comuns a todos”, detalha.

Equipamentos – O município de Niterói possui 4 Centros de Atenção Psicossocial (Caps): dois para adultos em grave sofrimento psíquico; um CapsAD para adultos usuários de álcool e outras drogas; e um Capsi para crianças e adolescentes em grave sofrimento psíquico. A rede conta, ainda, com seis ambulatórios, Centro de Convivência Oficinas Integradas, uma Unidade de Acolhimento Infantojuvenil (UAI), 8 Residências Terapêuticas (RT) e o Hospital Psiquiátrico de Jurujuba (HPJ).  

 

 


 
Banner
Banner
DIGITE SUA BUSCA
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner