Principal
Banner

postheadericon FMS realiza atividades de incentivo à amamentação

mater-malu

Dentre as atividades do Agosto Dourado, mês de incentivo ao aleitamento materno, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) realizou cursos e palestra nesta semana em unidades de saúde de Niterói.


Na terça (15/08) e na quinta (17/08), a Maternidade Municipal Alzira Reis Vieira Ferreira (MMAR), em Charitas, promove o IX Curso Iniciativa Hospital Amigo da Criança; enquanto na quarta (16), a Policlínica de Especialidades da Mulher Malu Sampaio, no Centro, convidou mães para palestra sobre o assunto.


Alzira Reis se prepara para receber título de Maternidade Amiga da Criança


Segundo a diretora da unidade, Adriana Cersosimo, o curso tem como objetivo capacitar os profissionais de saúde da MMAR para que utilizem métodos que promovam, protejam e apoiem a prática do aleitamento materno. “Isso irá permitir que recebamos em breve o título de Hospital Amigo da Criança”, comentou.


Direcionado aos obstetras, pediatras, anestesiologistas, psicólogos, nutricionistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem e profissionais administrativos da maternidade, o curso de aleitamento reuniu nesta edição um grupo com 18 participantes, que tinham desejo em comum: capacitar para melhor amamentar.


Além da própria diretora, a equipe de palestrantes era formada por profissionais especializados na questão do aleitamento materno, dentre os quais: as nutricionistas Rosane Brito, da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, e Enilce Sally, da Faculdade de Nutrição das UFF e representante da Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar (Ibfan em inglês), bem como a obstetra Marcelle Escoard da MMAR e as enfermeiras Bertilla Riker, do banco de leite do Huap, e Fernanda Sá, da maternidade.


A nutricionista Enilce Sally abordou o código internacional de comercialização de substitutos do leite materno e a legislação brasileira que protege a amamentação, estabelecida pela Lei 11.265, de 2006, e pelo Decreto 8552, de 2015. “É vedado ao profissional de saúde fazer propaganda de produtos substitutivos do leite materno”, comentou.


Outro objetivo do evento, segundo Adriana Cersosimo, é capacitar 100% dos profissionais da unidade, isto porque a maternidade está voltada para a humanização da assistência ao parto.


O curso continua na quinta da próxima semana (24/08). Ainda segundo a diretora, no dia 26, sábado, das 9h às 12h, haverá uma passeata na Praia de Icaraí para promover o aleitamento materno. O ato irá reunir parceiros do banco de leite do Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap) e das salas de apoio à amamentação da FMS, instaladas na Policlínica Regional Carlos Antônio da Silva, em São Lourenço; na unidade básica de saúde de Santa Bárbara e na MMAR.


E no dia 30, a partir das 9h, encerrando a programação, será realizada uma roda de conversa com a presença de gestantes, puérperas e equipe multiprofissional da maternidade.


Palestra na Policlínica Malu Sampaio esclareceu dúvidas de mães


Com o tema “A importância dos 1000 dias para o bebê”, a obstetra Marta Pinho e a pediatra diretora da Policlínica de Especialidades da Mulher Malu Sampaio, Célia Regina, falaram nesta quarta-feira para cerca de 60 mães sobre a importância do leite materno e outros fatores no desenvolvimento do bebê desde a concepção até os dois anos de idade.


“Para a mãe, amamentar diminui o risco de ter câncer de mama, de ovário e diabetes”, explicou Marta, enquanto Célia citou algumas das inúmeras vantagens para o bebê: “É o melhor remédio, pois evita infecções, obesidade, má posição dos dentes e desenvolve a inteligência da criança”.


Ao detectar a gravidez, a mãe deve realizar o pré-natal em nossas unidades de saúde, em que serão realizados exames, medicações, vacinações e orientações para o nascimento seguro, preferencialmente de parto normal. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, no mínimo, seis consultas de pré-natal durante a gestação, intensificadas ao final da gestação.


Na formação do bebê é fundamental a mãe não fazer uso de nenhuma droga, seja álcool e cigarro, como também as ilícitas, sob o risco de mortalidade e má formação do bebê ou mesmo crises de abstinência quando ele nascer.


As duas médicas alertaram sobre a alimentação da mãe e destacaram a importância do acompanhamento de um nutricionista. Vegetais, frutas, carnes magras, lacticínios e cereais devem ser priorizados por serem ricos em propriedades como vitaminas, proteínas, fósforo, ferro e carboidratos. A partir do 6º mês de nascimento do bebê, após a alimentação exclusiva de leite materno, ele poderá complementar o consumo do leite com alimentos saudáveis leves e beber água e sucos da fruta.


Participando do evento como ouvinte, Jéssica Lima, de 29 anos, está com 9 meses da sua 3ª gravidez e elogiou o encontro: “muito interessante essa palestra e eu aprendi muita coisa mesmo tendo outras gestações. Antes, não tive orientação em relação a “pega” do bebê, que agora já sei que tem que estar totalmente colado no corpo da mãe e deve sugar o leite pela aréola e não no bico do seio”.


O evento contou com a parceria da mastologista da rede Thereza Cypreste e sua Associação dos Amigos da Mama de Niterói (ADAMA). Ao final, as participantes cantaram parabéns para a diretora Célia Regina que aniversariava no dia e foi realizado um sorteio com brindes para as mães e seus bebês.







 
Banner
Banner
DIGITE SUA BUSCA
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner